Entrevista com Alexandre Birman

Por Luz Vaalor

O designer Alexandre Birman realizou um desejo: criar modelos para mulheres sofisticadas e que não abrem mão de um produto de qualidade. Filho de uma família de famosos calçadistas, e vice-presidente do Grupo Arezzo e Schutz, criou a marca de luxo que leva seu nome e é hoje um sucesso tanto no Brasil como no exterior. Alexandre atualmente calça celebridades como as atrizes Kate Hudson, Courtney Cox e Tallulah Willis (filha de Bruce Willis e Demi Moore) e expõe a marca nas principais boutiques dos EUA e da Europa.

O Luxury Lab foi ao seu encontro para desvendar as expectativas da marca Alexandre Birman e sua atuação no Brasil e no exterior, além de entender a importância do desenvolvimento de lojas próprias para o seu negócio de luxo. Saber ainda de Alexandre quais são as dificuldades encontradas por marcas de luxo brasileiras no cenário internacional.

LLab – Quais são as suas principais expectativas em relação à marca Alexandre Birman para os próximos dois anos?

AB – Nossas expectativas para a marca são continuar fazendo um excelente trabalho nos mercados americanos e europeu e sendo reconhecido por isso, expandir nossa distribuição em lojas de prestigio no cenário mundial e cada vez mais consolidar a marca no mercado brasileiro.

LLab – Os  produtos Alexandre Birman são feitos com matéria prima nacional ou você agrega matérias primas importadas? Se sim, quanto isso representa em % ao total?

AB – Grande parte de nossa matéria prima é importada. Nosso python, com certificado do Ibama, vem da Indonésia. O solado de nossos sapatos é italiano e parte dos couros que utilizamos na coleção também vem da Itália. Todos os nossos produtos são feitos de forma artesanal e com os melhores materiais do mercado, sempre com atenção especial na qualidade e acabamento em cada par.

LLab – Quais são os principais diferencias dos seus produtos? Design, Qualidade, Diferenciação, Inovação etc….

AB – Um sapato Alexandre Birman é facilmente reconhecido pelo seu design elegante e atemporal, pelas matérias primas exóticas com as quais trabalhamos e principalmente pela qualidade superior, que é nosso maior diferencial.

LLab – Qual a  importância de uma marca desenvolver suas próprias lojas de varejo?

Hoje em dia as marcas estão cada vez mais tridimensionais, só o produto já não basta. Para a marca se destacar precisa oferecer o pacote completo, onde ambiência, embalagem, serviço são tão importantes quanto o produto em si.  Ai entra a importância de se ter uma loja própria; agregar valor e transmitir esse lifestyle, além claro de ser um ponto para se comunicar com a cliente.

LLab – Dentro de sua estratégia de expansão de negócios no Brasil, foi considerada a possibilidade de lojas franqueadas?

AB – Não, franquias não se encaixam no nosso modo de negócio, temos um produto exclusivo, vendemos apenas para as principais multimarcas do país.

LLab – Como é visto o design brasileiro de sapatos nos mercados da Europa e dos Estados Unidos?

AB – O nosso sapato é extremamente bem visto nos mercados internacionais por ser um produto diferenciado que combina materiais exóticos e exclusivos com qualidade notória e com uma ótima relação custo-benefício.

LLab – O que um designer brasileiro precisa ter para ganhar notoriedade internacional?

AB – Acho que todo designer independente da sua nacionalidade precisa oferecer algo único e ser autêntico. Esse algo único pode ser o design, o conforto, a qualidade, o preço, ou alguns desses fatores combinados entre si. Para se destacar, é necessário ter um diferencial competitivo sustentável que o diferencie do trabalho dos outros designers.

LLab – Quais as dificuldades que uma marca brasileira enfrenta para se estabelecer nos mercados mais desenvolvidos como os da Europa e dos Estados Unidos?

AB – Mercados como Europa e Estados Unidos são mercados de difícil penetração, pois são mercados já estabelecidos e saturados de oferta. Uma dificuldade pode ser a burocracia e as normas rígidas como prazos de entrega, nível de qualidade, etc. Mas acredito que com um plano bem feito, as dificuldades se reduzem. No nosso caso, apesar da crise financeira dos EUA, não enfrentamos nenhuma dificuldade, pois fizemos um estudo certeiro de mercado, acreditávamos no diferencial do produto e tínhamos um objetivo claro.