Perfumes de luxo proporcionam alegria?

A indústria de perfumes europeia, referência na produção das fragrâncias que são cultuados no universo fashion, passa por um período de tensão. O motivo seria uma mudança nas leis que envolvem a fabricação dos produtos.

No inicio de novembro, uma comissão científica divulgou um estudo revelando que uma considerável quantidade de pessoas apresenta relativa alergia a algumas substâncias presentes nos perfumes. Claramente, isso levou a um frisson entre as marcas top de linha no ramo, como a Chanel, Dior e Guerlain, entre outras. Os elementos que estariam desencadeando esse problema são o citral, presente em óleos cítricos, contidos no limão e na tangerina, a cumarina, encontrada em árvores tropicais, e ainda o eugenol, presente na esssência de rosas.

O temor das grifes é que seja estabelecida uma lei que proíba o usa dessas substâncias, o que levaria ao fim perfumes como o nº5 da Chanel e o Miss Dior, e muitos outros. Segundo o presidente da Associação Internacional de Perfumes (Ifra) “os elementos são a espinha dorsal de cerca de 90 % dos perfumes de luxo”.

Embora a indústria da moda tenha passado por dias de inquietação por causa dos estudos que apontaram para o problema, o porta-voz da instituição de Saúde e Proteção dos Consumidores Frédéric Vincent afirma que se trata de um trabalho científico e não é a posição da Comissão e ainda diz que estão longe de realizar modificações a respeito da legislação de perfumes europeia. Assim, nós os consumidores podemos nos acalmar e continuar a nos perfumar com as essências que acompanharam até mesmo nossa querida e glamourosa Marilyn Monroe.

fonte http://www.puretrend.com.br