Phebo e a Granado a caminho da cosmética de luxo brasileira

capa_7

Por Sandra Braga via Equipe F/StyleParis

A diretora de marketing da Granado e Phebo esteve em Paris e contou para a LuxuryLab como as duas marcas ganharam espaço privilegiado dentro da vitrine de luxo mundial, o Le Bon Marché. Nazish Munchenbach, que nasceu na Índia e estudou na França, diz que agora seu coração é brasileiro. Ela mudou-se há dez anos para o Rio de Janeiro, e desde então trabalha para o sucesso das linhas de cosméticos mais tradicionais do Brasil.

Esse sucesso foi descoberto pelos franceses assim que começou em abril a exposição “Le Brésil au Bon Marché”, estruturada pelo Le Bon Marché para mostrar aos parisienses as marcas mais prestigiadas do Brasil. Bastaram dois meses de evento para que a Granado e a Phebo tivessem seu espaço na loja por tempo indeterminado.

Segundo Nazish, a boa receptividade é explicada primeiramente pelo carinho que os brasileiros têm pelas marcas. A equipe da curadoria do Le Bon Marché logo percebeu o quanto a Phebo e a Granado são queridas no Brasil e representam uma história que passa por gerações. Assim, facilitou aos franceses o acesso à tradição e ao know-how de uma cosmética puramente brasileira.

Agora são os franceses que começam a participar de uma história que começou em 1870, no Rio de Janeiro, quando o português José Antônio Coxito Granado deu vida à Casa Granado. O Polvilho Antisséptico, aprovado pelo famoso médico Oswaldo Cruz, era a grande novidade da casa, que logo virou a primeira farmácia oficial do Brasil, a Farmácia Granado. A intenção da marca sempre foi criar produtos com ativos funcionais e apelos medicinais. Até mesmo a linha recém-lançada de esmaltes não foi criada apenas para decorar as unhas, mas também para tratá-las. A ideia é também que os produtos de cuidados pessoais possam ser usados por todos, sem a segmentação para públicos específicos, complementa Nazish.


Para a exposição do Le Bon Marché a Granado trouxe a gama completa de produtos, reeditando uma versão da linha Carioca que traz na identidade visual a ilustração da estátua mais famosa do Brasil, o Cristo Redentor. Para Nazish, “a aceitação pelos franceses foi imediata. Eles adoram o Brasil, e o desenho do Cristo remete a uma imagem sugestiva, evocando um universo sensorial brasileiro”. Ela diz que para uma marca brasileira de cosmético conquistar um consumidor francês precisa prestar atenção aos gostos por fragrâncias que às vezes pode ser diferente devido às diferenças climáticas e culturais.


No entanto, os ingredientes exóticos da Granado, como a castanha e o açaí, assim como o sândalo, a canela de Madagascar e o cravo da Índia da Phebo foram bem aceitos pelos consumidores franceses. A empresa, que teve origem no coração da Amazônia, em 1930, foi instituída pelos primos portugueses Antônio e Mario Santiago, que buscavam inspiração na cosmética europeia, mas acabaram por criar um espírito libertino, dando origem a um sabonete preto, chamado Odor de Rosas, que assumia ser inteiramente brasileiro.

Nazish entende que a Phebo sempre possuiu certa ousadia — enquanto os consumidores esperavam por sabonetes de coco, branquinhos, que pareciam um símbolo de higiene, a Phebo lançou um sabonete preto, de glicerina, que acabou por representar o sucesso de suas vendas.

A busca por novidades levou a Phebo a buscar um design de embalagens modernas que não perdessem as suas raízes históricas. Desenhadas pela francesa Anne-Marie Helies, elas ganharam uma explosão de cores intensas, fortificando o universo lúdico da marca que segue a moda contemporânea.


Nazish diz que a Phebo e a Granado não têm planos para uma expansão internacional imediata. As marcas ainda vão continuar inovando no Brasil, tornando-se cada vez mais presentes na vida dos brasileiros. Este ano a Phebo lançou sua primeira linha de maquiagens. Ela complementa que o fato de ganhar uma loja no Le Bon Marché é uma imensa alegria, mas que também representa tudo que foi realizado pela Phebo e pela Granado em mais de cem anos de história.

Equipe F/StyleParis

www.phebo.com.br e www.granado.com.br