Alexander Wang fará sua marca em Balenciaga

ATT89157 1

Por Bruna Daros

Cristóbal Balenciaga, nascido em 1895, na Espanha, formou-se, no ano de 1918 em alfaiataria. Inaugurou seu primeiro ateliê em San Sebastian e, em seguida, estendeu-o para Madri e Barcelona, a fim de atender a família real e a corte nacional. Entretanto, em 1936, o ateliê foi fechado e o estilista fugiu do país, em direção à Paris. No ano seguinte, já na cidade da luz, inaugurou, no número 10 da Av. George V, a Casa Balenciaga. Apesar de seu estabelecimento na capital francesa, suas referências eram a cultura e a história espanhola, sempre combinando influências de sua nacionalidade com a alta costura.

O estilista se aposentou em 1968, e faleceu quatro anos mais tarde, em 1972. A Casa Balenciaga ficou alguns anos “apagada”, até que, em 1997, o francês Nicolas Ghesquière foi contratado para gerir a grife, o que a colocou de volta no topo da alta costura. Em 2001, o grupo Gucci comprou a label, o que impulsionou ainda mais Balenciaga no mercado.

Em dezembro de 2012, Alexander Wang assumiu a casa, que até então estava nas mãos de Ghesquière. Seu debut na label foi a coleção de Fall-Winter 2013. Ele é o responsável pelos designs ready-to-wear e acessórios da label, além de ser a imagem da Casa ao redor do mundo.

O ano de 2014 foi marcado por uma aceleração econômica para Balenciaga, principalmente devido as 500 lojas de atacado espalhadas pelo mundo e 90 lojas próprias. Estima-se que a receita final foi 350 milhões de euros. Nesse sentido, os planos para 2015 são incríveis: especula-se que a grife inaugurará uma nova sede, em edifícios do século XVII, em Madri. A nova sede ficará ao lado de Kering, grupo da Guci, e contará com cerca de 250 funcionários, desde estúdio, ateliê e showrooms. Para 2017, quando se completa o centenário da label, planeja-se uma grande exposição na Espanha, o que faz importante essa mudança de sede da Casa este ano.

Alexander Wang viajou com sua equipe para Getaria, onde Cristóbal Balenciaga nasceu, e usou sua paisagem para inspiração. Também foi ao museu da cidade e a casa de Cristóbal, a fim de entender os significados da marca para o seu criador. Essas descobertas sobre o inicio da grife foram importantes para Wang entender seus próximos passos e marcar historia entre as casas de alta costura. Alexander Wang agora faz desfiles pré-coleções e trabalha com jóias, lenços, óculos e artigos de couro, que se tornaram inclusive produtos ancora para a label. Wang também consolidou a grife no universo masculino, o que permitiu a abertura de lojas exclusivamente masculinas em Paris, Nova Iorque e Japão. “Temos uma equipe especial do red-carpet”, disse Wang, que também investe em vestir celebridades para a consolidação da label.

Espera-se que Wang continue fortalecendo Balenciaga e deixando sua marca na Maison.