London’s Victoria & Albert homenageará a obra de Cristóbal Balenciaga

GettyImages Balenciaga

Cristóbal Balenciaga (1895-1972) foi aprendiz de um alfaiate a partir dos 12 anos de idade. Em 1914 abriu a Casa da Balenciaga em San Sebastián, onde a maioria dos seus clientes eram aristocratas. Depois que a monarquia espanhola foi deposta na década de 1930, Balenciaga  mudou-se para Paris. Em Paris ele se tornou conhecido por dramáticos casacos pretos e vestidos que lembrava a moda espanhola da era Isabelina.

Balenciaga era um homem extremamente discreto e deu poucas entrevistas durante sua carreira. Ele preferia trabalhar com tecidos firmes e rígidos que resultavam em roupas uma aparência escultural graças ao seu conhecimento de alfaiataria.  A Casa da Balenciaga, típica do mundo parisiense da moda, tinha muitos clientes ricos. No entanto, foi duramente desafiado na década de 1960, quando os jovens da moda começaram a comprar as roupas industrializadas em vez de roupas de coleções.

Simbolicamente, Balenciaga fechou sua casa de moda em 1968, um ano de violentos protestos políticos em Paris. Mas 2017 está marcado para ser um grande ano para a casa de moda Balenciaga, pois o Museu Victoria & Albert revelou planos de uma exposição que homenageará a obra de Cristóbal Balenciaga a  “Balenciaga: Shaping Fashion” que será uma homenagem extraordinária ao legado da marca.

900

Esta será a primeira exposição sobre o trabalho do designer de moda em U.K., e está prevista para coincidir com o centenário da abertura da primeira loja Cristóbal Balenciaga em San Sebastián, Espanha. Outro marco marcado pela marca é o 80º aniversário do Salão de Balenciaga em Paris. A mostra examinará as maneiras e o uso inovador do designer que influenciou a alta costura no século XX, focalizando no trabalho que produziu durante os anos 50 e 60.  A curadora da exposição, Cassie Davies-Strodder destaca que esse foi o período o mais creativo de Cristóbal.

balenciaga

A exposição se concentrará no artesanato requintado, no domínio do corte e no uso pioneiro de tecidos que tornaram os projetos de Balenciaga tão especiais e o distanciaram de seus contemporâneos.Ele também vai explorar o seu impacto duradouro no mundo da moda através de seus protegidos, incluindo André Courrèges, Emanuel Ungaro, Oscar de la Renta e Hubert de Givenchy e de sua influência continuada sobre designers de moda hoje.

A exposição contará com mais de 100 peças de vestuário e 20 chapéus dos arquivos do museu, alguns dos quais nunca foram vistos antes. Esboços, fotografias, amostras de tecido e filmes.

Para acompanhar as exposições de moda siga Victoria & Albert