Marcas de Luxo com representatividade online tem mais potencial de crescimento

A marca francesa Louis Vuitton é a marca de luxo mais valiosa do mundo pelo 14º ano consecutivo, segundo o ranking BrandZ, divulgado neste mês pela WPP e pela Kantar. O valor de marca aumentou 15% para US$ 47,2 bilhões no ano passado. Ela é seguida por outras duas também francesas: Chanel, com valor de marca de US$ 37 bilhões e a Hermès, com US$ 31 bilhões.

As marcas da categoria luxo tem sustentado um crescimento “excepcional”, destaca o estudo, apesar da tensão contínua entre o luxo tradicional com apelo de exclusividade e o luxo contemporâneo com apelo da acessibilidade.

Embora o número de pessoas capazes de comprar produtos de luxo ainda seja limitado, a mídia social está expandindo a oportunidade para que mais pessoas acessem esse mercado. A marca Louis Vuitton, possui mais de 30 milhões de seguidores em seu perfil no Instagram.
Em um primeiro momento, pode soar estranho para uma marca de luxo expandir sua presença online para atingir um maior número de consumidores. Historicamente, sempre prevaleceu a crença de que os produtos de luxo são “exclusivos” e “limitados”, algo fora do alcance do consumidor médio. Mas na atual situação do mercado mundial, a conquista de mercado pelas marcas de luxo se baseia cada vez mais no engajamento de clientes online.

Em recente estudo da consultoria Bain & Co. prevê que o comércio eletrônico representará 25% das vendas do segmento até 2025. Isso significa que o atendimento e a experiência com marcas de luxo não são mais restritas às lojas físicas.
Os consumidores mais jovens buscam uma experiência de compra personalizada que integre as plataformas online e offline, o que tem motivado as empresas a adotarem novas tecnologias.

Além de explorar oportunidades de engajamento, no democrático universo online, as marcas de luxo também precisam comunicar valores e criar conexões emocionais com clientes.

Segundo o BrandZ, as marcas de luxo devem responder às novas necessidades dos consumidores e interagir com eles de maneira significativa para se manter na liderança. As marcas que lideram o ranking têm se saído bem nesse processo.

Mais sobre este assunto : https://www.bain.com/insights/luxury-goods-worldwide-market-study-fall-winter-2018/